SOCORRO!! MEU FILHO ESTÁ FAZENDO BIRRA!!


Atendendo a um pedido de um pai maravilhoso e que, como muitos pais de hoje, tem se preocupado com a educação dos filhos, vamos falar das tão temidas “Birras”.

O assunto é longo, complexo e exige muitas reflexões dos pais e mudança de comportamento dos mesmos. Hoje vou fazer uma pequena explanação do assunto, mas logo estarei postando uma série de vídeos sobre Birras no meu canal do YouTube.

Quando vemos uma criança fazendo birra, a primeira pergunta que temos que nos fazer é: o que será que provocou esse comportamento?

Devemos lembrar, em primeiro lugar, qual a idade da criança em questão. Quanto menor ela for, mais a birra será irracional, com gritos, movimentos corporais e descontrole, pois quanto menor a criança, mais difícil será dela sozinha retomar o autocontrole e mais difícil de travar um diálogo com ela. Conforme a criança vai crescendo, mais apta ela está em argumentar, se autocontrolar e estabelecer um diálogo.

Devemos sempre nos perguntar se a criança está fazendo birra por que está com sono, fome, dor ou houve algum outro motivo que a levou a ficar irritada.

Uma outra pergunta que devemos nos fazer é porque ela está fazendo manha?

Fazer birra é normal, pois a birra é o recurso, que a criança tem de lutar pelo o que ela quer ou conseguir aquilo que ela deseja.

Devemos nos perguntarmos o que a criança quer, qual o motivo e o que ela está querendo nos dizer com isso.

Tomemos como exemplo a clássica birra de se jogar no chão no supermercado.

O que essa criança quer?

Está com fome, por isso quer o doce, está com sono, por isso está irritada ou está acostumada a pedir e ganhar e quando ouve um não fica nervosa. Ou está fazendo birra porque sabe que se fizer um escândalo, a mãe vai ceder ao seu desejo.

Ai entramos num campo muito difícil; por trás de uma birra tem muitos outros fatores que precisamos refletir. O primeiro deles é como esses pais educam essa criança.

Existem pais autoritários, permissivos e os que conseguiram achar o meio termo.

Os autoritários, acreditam que a criança não tem direito de opinar e eles mandam e pronto e acabou!

Os permissivos que são ao contrário, que acreditam que a criança manda e eles permitem que ela seja feliz!

E tem uma linha nova que está surgindo que é da psicologia positiva que tenta colocar limite e respeita a criança como parte do processo. São os pais que colocam limites, mas de maneira consciente e que conversam, explicam, negociam coisas com as ccrianças.

Muitos pais não sabem que temos gravado no nosso inconsciente toda a educação que recebemos, a maneira como nós fomos educados e às vezes mesmo não querendo fazer da maneira como foi educado, faz com o filho. Isso porque o nosso comportamento, as nossas atitudes são pautadas no que temos de referência.

E aí muitos pais esquecem que agem com a criança com agressividade, com autoritarismo ou permissividade e na hora que a criança faz a birra, ele não sabe de onde aquilo tudo saiu. Já disse em outro texto que a criança imita os pais, ela incorpora, registra rapidamente como esses pais funcionam e eles são os seus primeiros modelos.

Sendo assim, se você grita com a criança, está ensinando ela que aquela é a forma de resolver o problema. E quando ela quiser algo o que ela tem gravado, o modelo que ela tem é que para resolver a sua vontade, ela grita. Simples assim!

Pois bem, como fazer então?

Por isso no começo do texto disse que o problema é complexo e tem que se ter uma dose de vontade e de coragem para que as coisas mudem. Primeiro devemos refletir em como estamos educando a criança e como isso tem refletido no comportamento dela. E depois começar a tentar mudar isso no nosso comportamento, se isso fizer sentido.

Se você acha que está sendo autoritário demais e que necessita, ouvir mais a criança, então veja como pode melhorar isso na sua relação com ela. Se acha que está sendo permissivo demais, como pode tentar colocar mais limites, como pode aceitar dentro de você que aquela mudança de comportamento sua, será muito melhor para o crescimento e desenvolvimento do seu filho.

Algumas dicas podem ajudar, mas não são diretrizes. Visto que cada pai e mãe tem que conversar e refletir em qual o tipo de educação que está dando ou buscando para o seu filho.

Dicas:

  • Sempre que for falar com a criança, se ajoelhe e fique na mesma altura que ela. Isso demonstra respeito e faz com que ela perceba que é parte do processo.

  • Algumas regras são negociáveis, outras não!

  • Quando for dizer não para a criança, diga de maneira direta, simples e consistente. Com um tom de voz firme. Não há a necessidade de gritar e não faça longos discursos.

  • Faça sempre combinados com a criança sobre o que você está querendo mudar no seu comportamento. Por ex: sempre que for no supermercado, combine com ela que ela poderá pegar um item só ou que naquele dia não terá como pegar. Se ela insistir em fazer birra, ignore e repita em voz baixa o combinado que você fez com ela.

  • Sempre que a criança estiver gritando ou chorando , converse com ela para que ela se acalme e que você não irá conversar com ela enquanto ela estiver com aquele comportamento.

  • Quando ela não quiser fazer algo que você ja combinou, dê duas opções de resolução para aquele problema, mas tem que ser duas opções que sejam viáveis para você e não para a criança. Ex: ela não quer colocar a roupa que você disse para colocar. Você diz para ela que ou ela coloca aquela roupa ou você coloca a roupa nela. Ela escolhe? Geralmente a criança quer fazer as coisas sozinha e em geral se você der alguma opção que ela possa se sentir capaz, ela vai aceitar.

  • Quando a criança estiver fazendo birra em público e tiver jeito de tirar ela do local e conseguir conversar com ela sós ou em um local com menos gente, pode ajudar. Pois geralmente a criança sabe que aquilo te incomoda e que causa um constrangimento. Por isso, sempre mantenha a calma e continue repetindo os combinados com ela.

  • Você pode ensinar também através de múcas ou livros que não é legal fazer birra.

  • Castigos e recompensas devem ser evitados ao máximo, pois assim você estará ensinando a criança a ter ese comportamento.

  • Muitas vezes nós pais sentiremos raiva e iremos perder o controle, mas tente sair de perto da criança, contar até dez, esmurrar o travesseiro e só depois que se acalmar, fale com a criança. Converse com ela e diga o que está sentindo que está irritado com o comportamento dela e que aquilo não é legal para ambos os lados. É importante mostrarmos nossos sentimentos. Sentir é bom!

  • Tenha muita paciência e perseverança no que você quer mudar na criança, pois ela não aprende da noite para o dia. Leva tempo.

Em breve os conteúdos estarão no meu canal no youtube

Deborah Garcia – Psicóloga, Psicopedagoga e Arteterapeuta.

CRP: 62436

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square